«Este grupo é formado por grandes jogadores, que todos os dias demonstram nos seus clubes porque estão aqui. É uma alegria enorme estar aqui», começou por dizer o médio do F.C. Porto aos jornalistas.

A forma de estar do ídolo, agora treinador, Maradona agrada ao sub-capitão dos dragões. «O técnico conduz o grupo, mas também fala bastante com cada um, individualmente, quer saber como nos sentimos. É muito importante. Falei com ele e sinto-me muito confortável», afirma, para depois responder a uma pergunta sobre se não tinha chegao a sentir vontade de pedir um autógrafo ao seu treinador. «Agora não tanto, já passou, mas no princípio sim», assumiu o jogador do FCPorto.

Para Lucho, a felicidade por estar na selecção só dá mais motivação para trabalhar. «Trato de desfrutar ao máximo este momento, treinar nos limites, trabalhar com alegria e dar o meu melhor. Sinto-me verdadeiramente um privilegiado por ser elemento de um grupo com tanta qualidade.»

A confiança para as eliminatórias está em alta na equipa albiceleste e Lucho admite-o. «Com o decorrer dos dias vamos crescendo, a confiança cresce em cada um e da parte do treinador em nós», disse o argentino.

A selecção das Pampas joga este sábado com a Venezuela, a contar para a qualificação sul-americana do Mundial 2010. É a estreia oficial de Maradona como técnico. Lisandro e Di Maria são os outros «portugueses» presentes na concentração da Argentina.