«Trouxeram a filarmónica [referindo-se aos muitos jornalistas presentes]. Sei o que querem, mas não levam música nenhuma», disse.

A verdade é que, mais tarde, no discurso formal, o líder encarnado comentou alguns assuntos da atualidade, entre os quais as polémicas declarações de Bruno de Carvalho. Sempre sem referir nomes, Vieira garantiu às centenas de adeptos presentes que iria defender o nome do clube nas instâncias próprias.

«Confesso que tenho o desejo de ver os dirigentes do futebol português a contribuírem para um futebol saudável, competitivo, que atraia público aos estádios. A ambição de ver Liga, Federação e clubes trabalharem em conjunto», começou por dizer.

«Recuperar a credibilidade do Benfica durou anos, por isso não contem comigo para voltar atrás no tempo. Mas também sei que como presidente tenho obrigação de defender o bom nome do clube. Quero deixar a garantia de que podem ter a certeza que assim será, mas nos locais próprios. Ignorem o ruído, porque, ao contrário do que alguns pensam, o ruído não beneficia ninguém. Falemos de nós e preocupemo-nos apenas com o Benfica», afirmou Luís Filipe Vieira.