O Maisfutebol desafiou os jogadores portugueses que atuam no estrangeiro, em vários cantos do mundo, a relatar as suas experiências para os nossos leitores. É isso que farão daqui para a frente:

Conheça melhor o projeto

«Olá, chamo-me Marcelo Daniel Marques Santiago e no mundo do futebol sou conhecido por Marcelo Santiago. Neste momento estou a jogar no FK Jagodina que disputa a 1ª Liga Servia mas em Portugal nunca disputei um campeonato profissional.

Comecei a jogar nas escolas do S.C. Beira-Mar e permaneci lá até aos juvenis. Nessa altura mudei-me para o F.C. Porto e comecei a representar as seleções jovens. Fui internacional Sub17, Sub18 e Sub19. Foi um ano e meio de muita aprendizagem no clube com mais mística em Portugal ,na minha opinião, pois acabei por ser emprestado ao CD Candal nos últimos 6 meses de júnior. Depois iniciei a minha primeira aventura no estrangeiro.

No primeiro ano de sénior fui jogar para o Pontevedra B que disputava a 3ª Divisão de Espanha mas foi um ano muito difícil, pessoal e profissionalmente. Apesar de nunca encarar a saída de Portugal com medo foi um ano que me custou muito. Pessoalmente, passei um dos piores anos da minha vida e isso não me ajudou na adaptação. Devido a isso tudo voltei a Portugal para tentar lançar-me em definitivo.

Primeiro representei o Sp. Espinho, depois fui o melhor marcador da 2ª Divisão Zona Centro ao serviço do F.C. Pampilhosa. Podia ter dado o salto para a Segunda Liga mas os direitos de formação eram um problema. Foi nessa altura que voltei a ponderar emigrar porque em Portugal teria que esperar mais 2 anos para me ver livre dos direitos de formação mas nada se concretizou e continuei em Portugal ao serviço do Gondomar e no ano passado ao serviço do Tondela. Neste ultimo, a época estava a correr me bem e apareceu a possibilidade de representar o Qingdao Jonoon F.C. da Primeira Liga Chinesa em Fevereiro.

Cheguei a viajar para a China mas quando nada fazia prever, devido a desentendimentos entre todos os interessados, tudo foi por água abaixo. Tive que regressar ao Tondela onde acabei por subir de divisão. Depois de uma época em que joguei com assiduidade e desviado da minha posição natural pensei que surgisse o convite do Tondela para representar o clube na 2ª Liga Portuguesa mas como tal não aconteceu e apareceu uma proposta do FK Jagodina não olhei para trás. Este convite surgiu através do meu representante e não pensei muitas vezes em me lançar no Campeonato Sérvio pois iria pela primeira vez representar um clube da 1ª Liga e poderia lançar a minha carreira finalmente nas Ligas Profissionais.

Tem sido uma experiência muito positiva e a minha adaptação tem sido boa porque já não é a primeira vez que estou fora do País. Inicialmente foi complicado porque não entendia nada de sérvio mas ao fim de 3 meses já percebo e falo o indispensável. Para além disso, o treinador fala Inglês e espanhol. Ainda assim, é complicado ele traduzir tudo o que fala aos jogadores por isso tenho que aprender sérvio.

Estamos no 4º lugar do campeonato mas eu não tenho jogado regularidade. Não encaro isso com pessimismo, antes pelo contrário, pois obriga-me a superar-me todos os dias e a melhorar. Este é um país com uma cultura um pouco diferente da nossa pois as pessoas são mais frias no trato e é preciso algum tempo para confiarem nos estrangeiros. Concluindo, apesar de não estar a jogar o que pretendia, estou a gostar da minha aventura.

Agradeço ao Maisfutebol a oportunidade de manter contacto com o meu país e de contribuir para este excelente projecto. Com este projecto as pessoas em Portugal poderão acompanhar melhor o que passamos fora do país e claro não deixa que se esqueçam de nós. Muito obrigado.»