«Em Lisboa vivi os dois anos mais importantes da carreira. Chegámos às meias-finais da Taça UEFA, com o Espanhol, e fomos aos quartos-de-final da Liga dos Campeões, depois de eliminar o Manchester United e o Liverpool, onde marquei. Memorável. Perdemos a Liga na última jornada», disse o «pequeno bombardeiro», em entrevista à «Gazzetta dello Sport».

Mas embora recorde com saudade os tempos passados na Luz, Miccoli assume que pretende continuar no Palermo. «Foi uma escolha de vida, que fiz com a minha mulher. Se posso tornar-me uma bandeira do clube? É algo que desejo. Os adeptos são extraordinários comigo, fazem-me sentir importante», disse o avançado.

Na mesma entrevista, Miccoli revelou orgulhoso pelo facto de o presidente do Palermo ter dito que era inegociável, e mostrou-se disponível para renovar. «Até agora não assinei nada. Se o presidente achar que é oportuno, eu estou pronto», disse o jogador, lembrando que a sua filha vai entrar para a escola no próximo ano.