Armstrong deveria participar na Gran Fondo Hincapie, uma prova cicloturista, de 128 quilómetros, qua vai decorrer no sábado na Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

«A Gran Fondo Hincapie é um evento velocipédico reconhecido pela USA Cycling e deve respeitar o código mundial antidopagem e o regulamento antidopagem da União Ciclista Internacional (UCI)», explicou a Federação norte-americana de ciclismo.

Assim, de acordo com a entidade, «um atleta suspenso por dopagem não pode fazer parte de tal prova», uma premissa confirmada pela UCI.

Vencedor de sete edições da Volta a França, Armstrong foi irradiado do desporto pela Agência norte-americana antidopagem (USADA) em 2012 por ter participado «no programa de dopagem mais sofisticado do desporto», tendo perdido também as sete camisolas amarelas da prova francesa.

Ao contrário de Armstrong, Hincapie, cujo testemunho foi fundamental para a condenação do texano, assim como vários outros membros também condenados da extinta US Postal, epicentro do escândalo de doping do hepta vencedor do Tour, vão poder alinhar na competição.

Kevin Livingston, Tom Danielson, Michael Barry e Christian Vande Velde são alguns dos participantes que testemunharam contra Armstrong.

O antigo patrão do pelotão mundial, de 43 anos, explicou no início da semana à publicação especializada na Internet Velonews que a sua participação se destinava a agradecer ao seu «bom amigo George».