Siga o jogo AO VIVO 

Leonardo Jardim, Ricardo Carvalho e João Moutinho voltam a cruzar-se com o Benfica depois de já terem defrontado as águias quando representavam emblemas nacionais. O outro reencontro marcado, mas de cariz bem diferente, é o de Bernardo Silva com o clube que, precisamente, o emprestou ao Monaco.

De todos os elementos portugueses que jogam na equipa do principado, Leonardo Jardim é o que o pior registo do seus encontros com o Benfica. Em seis jogos que fez contra os encarnados de Lisboa, Jardim nunca ganhou. O melhor que o treinador madeirense conseguiu foi empatar duas vezes – ou seja, perdeu quatro vezes.

Num duelo particular com Jorge Jesus, o técnico do Monaco também não sai feliz na estatística: e também nunca ganhou à equipa treinada pelo adversário quando a defrontou. Jesus e Jardim defrontaram-se sete vezes como treinadores e o homem que defende o Benfica apenas tem dois empates para lamentar – de resto. Ganhou cinco vezes.

No último encontro entre os dois, o Benfica de Jorge Jesus venceu o Sporting de Leonardo Jardim, na Luz, por 2-0.

Quando o confronto direto é entre os jogadores do Monaco e o Benfica, os portugueses que jogam no clube francês saem em vantagem. João Moutinho defrontou as águias em 10 jogos pelo FC Porto e 15 pelo Sporting. O agora nº8 do Monaco tem (num total de 25 partidas) o saldo positivo de 10 vitórias, oito empate e sete derrotas – só por uma vez marcou um golo aos encarnados.

Moutinho fez o último jogo contra o Benfica em 2012/13 quando representava o FC Porto. Em jogo para a liga portuguesa, o internacional português saiu vitorioso por 2-1 – no jogo em que os dragões passaram para a frente dos encarnados na penúltima jornada de um campeonato que vieram a ganhar.

Ricardo Carvalho Jogou nove vezes contra o Benfica. O defesa central português ganhou quatro, empatou duas e perdeu três partidas. Nas fichas de jogo não consta qualquer golo seu e estão apenas três cartões amarelos.

A última vez que Ricardo Carvalho defrontou o Benfica estava também ao serviço do FC Porto, mas foi já há quase dez anos. Foi em maio de 2004 que águias e dragões se defrontaram na final da Taça da Liga. Ricardo Carvalho saiu a perder (1-2) num jogo que só ficou decidido no prolongamento.

Já o caso de Bernardo Silva é diferente. O internacional sub-21 português só representou o Benfica até ser emprestado ao Monaco nesta época. Assim se despediu ele da Luz em agosto numa mensagem que deixou nas redes sociais: «Depois de 12 épocas ao serviço do GLORIOSO vou saber o que é vestir a camisola de outro clube que não o BENFICA. (...) Espero muito sinceramente que não seja uma despedida para sempre até porque um dia espero ainda poder concretizar um dos meus sonhos de criança: jogar no ESTADIO DA LUZ com a camisola do BENFICA. Neste próximo ano voltarei a ser aquilo que sempre fui: adepto do SPORT LISBOA E BENFICA e de certeza, que quando for a lisboa, se coincidir, vou estar no estádio da luz a festejar golos a partir da bancada.»

A ironia do destino faz com que o jogador-adepto seja agora adversário. Bernardo Silva tem vindo a ganhar o seu espaço na equipa de Leonardo Jardim e o mais provável é que o seu reencontro com as camisolas do Benfica seja envergando a do Monaco e já no Estádio Luís II.

O MOMENTO

Monaco

A época muito irregular do Monaco na liga francês – com um início muito mau em resultados – que lhe dá um dececionante 10º lugar na classificação tem vindo a ser atenuada coma boa prestação a Liga dos Campeões onde a equipa francesa é líder do Grupo C. Tendo ganho em casa ao Bayer Leverkusen e empatado em São Petersburgo, os monegascos entram tranquilos para esta 3ª jornada da fase de grupos. Sobretudo pela desafogo emocional com a vitória do fim de semana no campeonato.

Benfica

A vitória na Taça de Portugal com uma equipa de segundas opções só pode motivar um clube que em Portugal continua a ter uma liderança confortável do campeonato. Mas, em oposição ao Monaco, é nas competições europeias que o Benfica tem sido uma autêntica desilusão. Sem qualquer ponto conseguido nos dois jogos já realizados, é imperativo para a equipa de Jorge Jesus conseguir, pelo menos um ponto, se não ganhar para, mais tarde, não vir a morrer na praia. Mas, ainda para além disso, no segundo jogo consecutivo fora de casa na Champions, o Benfica está também obrigado a fazer esquecer a exibição de Leverkusen.

A análise ao Monaco

Discurso direto:

LEONARDO JARDIM: «Reconhecemos o Benfica como uma das boas equipas deste grupo e que, a priori era uma das favoritas a passar. O último lugar do grupo não reflete a sua qualidade. Temos de respeitar o Benfica pela qualidade global que tem e não pela situação classificativa neste momento.»

JORGE JESUS: «O Benfica joga em todos os campos da mesma maneira, mas com estratégias diferentes. Não vamos mudar o nosso ADN. O Benfica não lidera na Champions mas está em primeiro em Portugal, está muito bem a nível nacional. Quem está à frente é o Mónaco, mas isso não nos inibe. Temos capacidade para disputar o jogo a pensar na vitória, sabendo que vamos defrontar uma equipa com muito valor.»

Ausências:

Monaco: Borja López

Benfica: Rúben Amorim, Sílvio, Ola John, Fejsa, João Teixeira, Jardel, Jara e Júlio César.

EQUIPAS PROVÁVEIS

Monaco

Outros convocados: Stekelenburg, Abdennour, Echiejile, Wallace, Bakayoko, Dirar, Ocampos, Germain, Martial e Traore.

Benfica

Outros covocados: Paulo Lopes, Bruno Varela, César, Cristante, André Almeida, Gonçalo Guedes, Pizzi, Bebé, Derley e Nelson Oliveira.