Adaptado de um artigo publicado em 2004







«Olá Fritz, vai uma chávena de chá?»