O Mundial é o torneio que reúne as 32 melhores seleções do mundo? Nem por isso, se julgarmos, pelo menos, pelo ranking da FIFA, o organismo que organiza a prova.

A verdade é que a fase de apuramento dita sempre muitas surpresas e, nesta altura, já é certo que sete das 32 melhores seleções não estarão na Rússia.

Chile (9.º do ranking), Gales (13.º), Eslováquia (19.º), Ucrânia (24.º), Turquia (27.º), Estados Unidos (28.) e Holanda (29.º) já foram eliminadas.

O número pode aumentar, pois há mais seis das seleções europeias que vão disputar o play-off e também se encontram nas melhores 32 posições. É o caso da Suíça (7.ª do ranking), Itália (17.ª), Croácia (18.ª),  Irlanda do Norte (20.ª), Suécia (23.ª) e Dinamarca (26.ª). E a estas a ainda se junta o Peru, atual 12.º, que também não tem lugar assegurado.

Em sentido inverso, já estão apurados países de ranking bem mais modesto, como o Japão (40.º), Nigéria (44.º), Coreia do Sul (51.º), Arábia Saudita (53.º), Panamá (60.º) e Rússia (63.º), como país organizador, embora a posição no ranking também se deva ao facto de não ter disputado a fase de apuramento.

Faltam atribuir ainda nove vagas (quatro na Europa, três em África e duas nos play-offs inter-continentais: Nova Zelândia-Peru e Honduras-Austrália)