«Um treinador disse em tempos que a sua equipa era fácil de analisar mas difícil de bater. É uma boa descrição para nós».

O selecionador da Suécia pegou numa frase alheia para classificar a sua equipa, na véspera do duelo com a Inglaterra, para os quartos de final do Mundial.

Janne Andersson desvalorizou assim as questões relativas a um estilo demasiado defensivo da sua equipa, e preferiu focar-se na ambição de chegar às meias-finais e igualar o feito de 1994.

Para o selecionador os lances de bola parada serão «uma das chaves» para determinar o vencedor da partida, lembrando que é a primeira vez que vai encontrar «uma equipa com resultados tão bons» nesse aspeto.

Já o capitão da Suécia, Andreas Granqvist, antecipa um duelo difícil com Harry Kane, melhor marcador do Mundial.

«É um excelente avançado e vai ser muito duro enfrentá-lo, mas vamos fazer todos os possíveis para o travar», afirmou.

Granqvist, que vai regressar ao Helsingborgs depois de cinco épocas nos russos do Krasnodar, recusou pensar além dos quartos.

«Nós pensamos jogo a jogo. Estar nos quartos de final de um Mundial já é algo muito significativo. Esperamos conseguir um bom resultado e, se o conseguirmos, então pensar no próximo», referiu o defesa central.

O duelo dos quartos de final, entre a Suécia e a Inglaterra, está marcado para sábado às 15h00.