Os futebolistas brasileiros estão um pouco por todo o Mundo.

Do mais rico futebol europeu, é claro, até aos clubes mais modestos do Velho Continente. Muitos no Leste europeu, na Ásia, no Médio Oriente.

Se há fenómeno global que a abertura de fronteiras permitiu, foi este: o de podermos ver o perfume do futebol brasileiros em todos os continentes, desde os clubes mais abastados até aos emblemas menos apetrechados.

Com tantas histórias para contar, e experiências a partilhar, o Futebol Brasil inicia hoje uma nova rubrica que se destina a revelar jogadores brasileiros menos conhecidos que se aventuraram além-fronteiras.

E para a estreia deste «Mundo Brasil», escolhemos uma bela história: a de Christian, médio de 24 anos, que se encontra a jogar no Apoel de Nicósia, de Chipre.

O clube, treinado pelo português Paulo Sérgio (antigo técnico de Sporting, V. Guimarães e Paços de Ferreira), tem nas suas fileiras vários jogadores brasileiros e portugueses.

E, recentemente, acertou com o Grêmio Anápolis o empréstimo de Christian. A ideia era reforçar o meio-campo, mas curiosamente a estreia do jovem jogador na Champions (empate 1-1 com o Maribor) foi como lateral-esquerdo, para compensar a ausência de Mike, que estava lesionado.

«Não é uma posição totalmente nova para mim, no Brasil cheguei a atuar a lateral, mas é como segundo volante que me dou melhor», explica Christian, em conversa com o Futebol Brasil.

Uma história exemplar

A chegada de Christian à Champions revela uma história exemplar, daquelas que nos mostram que é mesmo possível acreditar na sorte e na justiça.

Há apenas dois anos, em 2011, Christian atuava na terceira divisão estadual de Goiás, no modesto Evangélica, clube onde não ganhar um único cêntimo. «Estava lá a jogar de graça, à espera que a sorte me aparecesse. Felizmente, estavam lá a ver os portugueses, o Marco Aurélio (ndr: diretor-desportivo do Grêmio Anápolis) e o Teixeira (ndr: empresário), que gostaram do meu futebol e decidiram apostar. Agradeço a Deus, pois sem a ajuda Dele, nada disto tinha sido possível».

Religioso, homem de fé, Christian sempre acreditou que iria ter sorte no futebol. Mas confessa que nunca imaginou que as coisas viesses a acontecer tão rápido. Nem que chegasse tão longe, logo ele, que até há poucas semanas nunca tinha saído do Brasil! «Cara, eu há dois anos estava na terceira divisão estadual. Nunca imaginei que pudesse chegar à Liga dos Campeões. Na verdade, nem sequer sonhava com isso. Pensei que não fosse para mim».

A verdade é que a sorte não apareceu logo. Aos 18 anos, não ficou no Tuna Luso, de Belém do Pará. Chegou a fazer testes no Inter de Porto Alegre, com 19, mas a idade já um pouco avançada reduziu o interesse de quem procurava talentos ainda por moldar.

Depois de ser «descoberto» no Evangélica, uma lesão impediu-o de assinar pelo Grêmio Anápolis em 2012, ano em que a equipa subiu da segunda à primeira estadual. Mas a transferência acabou por se fazer no ano seguinte. E rapidamente o seu talento se impôs.

Nos primeiros meses no Grêmio, nove clubes europeus viram Christian e gostaram do que viram. Mas nenhum fez proposta, até que responsáveis do Apoel Nicósia viram Christian em ação: e adoraram.

O clube de Paulo Sérgio pôs-se de imediato em contato com os responsáveis do Grêmio Anápolis.

Por enquanto, apenas por um empréstimo de seis meses. Mas a ideia de Christian é prosseguir a aventura europeia: «Quero mostrar o meu futebol, arranjar um clube ainda melhor na Europa. Mas ter jogador na Champions já foi muito bom. Nunca imaginei».

CHRISTIAN «JAPONÊS»

Nome: Christian da Silva Fiel

Data de Nascimento: 14 de junho de 1989 (24 anos)

Altura: 1,81 metros

Peso: 82 quilos

Percurso: Tuna Luso (2007-2008), Time Negra (2009), Tuna Luso (2010-2011), Goiatuba (2011), Evangélica (2011), Castanhal (2012), Grêmio Anápolis (2013), Apoel Nicósia (2013)