Co Adriaanse é conhecido pelas suas ideias fortes e, ao longo de mais de um ano em Portugal, o holandês que agora se demitiu de treinador do F.C. Porto teve várias declarações que causaram impacto. Pelo meio, também, queixas de ter sido várias vezes mal interpretado, que levaram a um «blackout» da equipa na época passada.
O Maisfutebol recorda algumas dessas ideias e momentos, que ajudam a traçar o percurso do técnico.
«Posso prometer duas coisas. A primeira é ganhar e ser campeão na próxima época. A segunda é que o F.C.Porto vai jogar num estilo muito atraente e técnico», durante a apresentação a 24 de Maio 2005
«O jogador joga com os pés e não com as orelhas», quando distribuiu um código de conduta que impedia os jogadores de usar brincos, pulseiras, anéis e outros acessórios, nos primeiros dias de estágio em Julho de 2005
«Não fazes nada. Não fazes nada. Ficas aí parado e não fazes nada», gritando para Léo Lima no estágio de pré-temporada de 2005
«Gosto muito dele mas não pode jogar por uma questão interna do clube», sobre Nuno Valente em Agosto de 2005
«Quaresma terá um grande futuro se aprender a jogar para a equipa», sobre a ausência do extremo fora da lista de convocados, a 26 de Agosto de 2005.
«McCarthy tem problemas em funcionar em grupo», sobre a ausência da lista de convocados, a 16 de Setembro de 2005
«O meu objectivo é ajudar a melhorar o futebol português», a 22 de Setembro de 2005
«Se assobiarem e acenarem lenços brancos, eu vou embora», no rescaldo da derrota com o Artmedia e antes do jogo com o Marítimo, a 30 de Setembro de 2005.
«Nunca disse que se visse lenços brancos poderia deixar o clube. Além disso vi adeptos do Benfica a acenar lenços brancos. Do F.C. Porto não vi», a 15 de Outubro de 2005
«É um assunto interno e não posso dizer porquê, mas é verdade que está na equipa B», sobre Hélder Postiga, a 24 de Outubro
«Jorge costa foi um grande jogador», sobre a ausência do capitão na convocatória, a 18 de Novembro.
«O Jorginho joga com muita velocidade, com velocidade a mais, por isso comete alguns erros técnicos e perde algumas bolas. Tem de aprender a jogar com mais calma», a 2 de Dezembro
«Já conheço muitos portugueses e sei que, em geral, são simpáticos e amigáveis. Aquele incidente não teve significado», a propósito da agressão de que foi alvo, a 6 de Fevereiro de 2006
«Não foi um jogo bem jogado, foi um clássico. O Benfica mereceu ganhar», depois da derrota nas Antas, a 26 de Fevereiro 2006
«Para o ano espero que marquemos 60 ou 70 golos», 21 de Abril de 2006
«Sou um treinador de topo desde Maio», a 3 Agosto de 2006
«Quero encontrar um ponta-de-lança, nem que seja na rua. Quando não há recursos, temos de ser imaginativos, procurar de todas as formas. Até na rua se pode encontrar um ponta-de-lança», a 3 de Agosto de 2006
«Temos muito talento, mas às vezes não o suficiente. Para além dos problemas de finalização, tivemos alguns erros na defesa», depois da derrota com o Manchester a 4 de Agosto de 2006
«Gostava de ter o Ronaldo, o Adriano (mas o primeiro, não o segundo, esse já o temos), o Ronaldinho Gaúcho, o Kuyt, o Hesselink...», a 5 de Agosto de 2006
«Não vi quase nenhum jogo do Mundial. Não me ia fazer bem. Tenho as minhas ideias, a minha forma de pensar, se visse muitos jogos, podia mudar essas ideias para pior», a 5 de Agosto de 2006
«Não há dinheiro para um avançado. Então continuaremos a fazer exibições divertidas mas a perder estes jogos», a 5 de Agosto de 2006, depois das derrotas com Inter e Manchester no Torneio de Amesterdão
«Já tenho poucas esperanças que venha alguém. Faltam poucos dias para o início da época. É muito difícil», após a vitória frente aos Rijnsburgse Boy, a 8 de Agosto de 2006