Carlos Queiroz, seleccionador de Portugal, em declarações à TVI, depois da pesada derrota diante do Brasil (2-6), no Estádio Bezerrão, em Brasília:
«Deslumbrámo-nos com 1-0, as coisas pareciam fáceis, depois a equipa desagregou-se. Os golos que sofremos não podem acontecer, alguns até foram patéticos, tal foi a falta de concentração. Começámos a alongar, a conceder espaços e isso não pode acontecer, sobretudo num jogo fora contra o Brasil. Não conseguimos recuperar a bola, depois aconteceram golos que foram de uma ingenuidade e facilidade que não podíamos conceder».
«Um resultado pesado, sem dúvida, os jogadores sentiram isso, estão pouco felizes com o que aconteceu. Chamei atenção para algumas coisas, mas isso fica para mim e eles. Vínhamos aqui pelo melhor, mas as coisas complicaram-se com os golos fáceis do Brasil e isso tirou alguma confiança, motivação e até alguma auto-estima. Mas julgo que, apesar de tudo, a equipa mostrou no princípio personalidade. mostrou que também pode tocar a bola e fazer golos. Agora temos de tirar as conclusões que são necessárias para estarmos bem contra a Suécia. Estamos todos frustrados, eu e os jogadores. Assumo a responsabilidade desta derrota pesada, não quero que isso vá para os jogadores».