O Nacional segue em frente na Taça de Portugal depois de 120 minutos de horror para os espectadores que foram à Choupana ver a partida com o Penafiel. Foi preciso marcar 14 grandes penalidades para decidir a coisa.
A primeira parte do jogo da Choupana resume-se bem num parágrafo. De resto, não merece mais. O Nacional jogou bem durante não mais de cinco minutos. Depois foi perdendo gás e capacidade para incomodar o Penafiel de Rui Bento, que se limitou a gerir o jogo, tranquilo e bem organizado. E assim o intervalo chegou.
Esperava-se mais na segunda parte, até porque pior seria complicado. Mas nada mudou. O Nacional continuou a dar sinais de adormecimento, enquanto o Penafiel procurava manter a organização defensiva e espreitar o contra-ataque.
No meio da pasmaceira, apenas uma cabeçada de Cássio à figura de Palatsi, aos 65 minutos. E um corte excelente de Ávalos, à entrada para os últimos dez minutos, a impedir que Luís Carlos se isolasse.
Este lance pareceu despertar um pouco os madeirenses e já perto do final do jogo foi Palatsi a evitar que Rodrigo fizesse o golo! Para castigo de todos, as equipas seguiram para prolongamento.
Claro que este tempo extra foi ainda pior e a coisa só se resolveu nas grandes penalidades. Vinicius falhou a última, Bracalli defendeu e o Nacional seguiu em frente, com um resultado final de 7-6 no desempate. Zé Rui, um dos piores, acabou por marcar a grande penalidade que desequilibrou para os madeirenses. O Nacional passa a ser a única equipa da Madeira em prova.
Ficha do jogo
Estádio Rui Alves, na Choupana
Árbitro: Carlos Xistra
NACIONAL: Bracalli; Patacas, Ávalos, Cardozo e Bruno Basto; Bruno, Chainho e Bruno Amaro (Zé Rui, 91); Pateiro (Rogerinho, 53), Luciano (Cássio, 46) e Rodrigo.
Suplentes: Belman, Alonso, Zé Rui, Cássio, Zé Vítor, Rogerinho e Emerson
Treinador: Carlos Brito
PENAFIEL: Palatsi; Pedro Moreira (Dias, 113), Vinicuis, Kelly e Celso; Ferreira, Martelinho (Jacques, 74) e Lourenço; João Pedro, Guedes e Vitinha (Luís Carlos, 62).
Suplentes: Vasco Viana, Filipe, Pedro Araújo, Jacques, Luís Carlos, Dias e Varinho
Treinador: Rui Bento
Disciplina: cartão amarelo a Bruno Amaro (43), Vinicius (61), Bruno (73), Ávalos (75), Cássio (76), Ferreira (108),
Golos: 0-0, depois 7-6 nas grandes penalidades