Carlos Queiroz, adjunto português do Manchester United, deslocou-se a Liverpool para assistir ao jogo do F.C. Porto. O técnico aproveitou a oportunidade para responder às palavras de Filipe Soares Franco, que o acusou de deitar achas para a fogueira ao confirmar que os «red devils» estão a acompanhar jogadores como Miguel Veloso:
Aqui ficam as afirmações:
«Foram afirmações duras, injustas, incompreensíveis e só a frustração de o presidente do Sporting não sentir que o clube está na fase final da Champions pode justificar isto. Também gostaria de ver o Sporting na segunda ronda e na liderança do campeonato e compreendo a sua frustração. Há uma grande mudança no Sporting e sempre que acontecessem estes momentos de insucesso é bom ver o presidente do lado do seu treinador. Lembro-me do tempo em que, quando as coisas corriam mal, os treinadores eram sempre os culpados.»
«Culpado, eu? Agora que estou no Manchester? Podia ter sido o Boloni ou o Peseiro, escolheram-me a mim. Gostaria de separar as coisas. Só falo de Soares Franco. Por vezes, a partir de determinadas horas do dia, não sabe o que diz. Não fiz insinuações, só afirmações. Nunca coloquei dúvidas sobre o interesse em jogadores. Foi uma opinião técnica. Há jogadores do Sporting que jogam na selecção de Portugal e merecem o meu aval.»
«Foi de uma desonestidade intelectual... procurou divergir as atenções das pessoas em relação ao sucesso que toda a gente gostaria de ver no Sporting. Eu trabalho no Manchester, não no Sporting. Já não espero desculpa. Ele é grande, mas não é grande coisa. Não é a primeira vez que isto se passa comigo. Estou um pouco farto desta postura. O senhor Soares Franco não tem nada a ver com o Manchester nem eu com o Sporting.»
«Não fica bem a uma pessoa que é presidente do Sporting. Não tive a felicidade de ter nascido numa posição em que não preciso de trabalhar, portanto, sou trabalhador com muito gosto. Isto surpreendeu-me.»