Para Mourinho, o Inter precisa de melhorar em muitos aspectos, desde logo nas condições de trabalho. O técnico também defende maior aposta em jovens, para um projecto a médio prazo. E diz que foi essas as opiniões que deu a Massimo Moratti, presidente do clube, nas conversas que têm mantido. Mourinho deixa a ideia de que o dirigente não lhe pediu a Liga dos Campeões, pelo menos no imediato, mas vai dizendo do que precisa, se for essa a vontade de Moratti. «Com mais quatro trintões não, mas com quatro jogadores de topo aceito o desafio. É um caminho diferente, que também me agrada. Também não quero trabalhar mais com 29 jogadores. Assim, será necessário vender.»

O caminho alternativo é mais longo. «A equipa precisa de uma maior margem de crescimento. Quando tem dois jovens com enormes possibilidades como Balotelli e Santon, não deve contentar-se, mas apontar para ter mais 4 ou 5 jovens assim no próximo ano. Um clube que se projecta no futuro e não só no presente deve ver as coisas de modo diferente», afirma Mourinho.

Depois, o técnico garante que está disponível para trabalhar para o futuro do Inter. «Não sou um treinador egoísta, quero trabalhar para o futuro do Inter. Dou-vos um exemplo: quando o Scolari chegou ao Chelsea e disse que nunca tinha encontrado um clube tão organizado, senti-me muito orgulhoso. Um treinador pode deixar o clube sem ganhar nada, o que não será o meu caso, pelo menos segundo espero, mas tendo feito um grande trabalho.»

Quanto ao seu futuro, o treinador português deixa todos os cenários em aberto: «Diz-se que Mourinho talvez se vá embora do Inter, mas porque é que ninguém diz que pode ficar mais quatro ou cinco anos? E o mesmo vale para Ibrahimovic.»