PLAY é um espaço semanal de partilha, sugestão e crítica. O futebol espelhado no cinema, na música, na literatura. Outros mundos, o mesmo ponto de partida. Ideias soltas, filmes e livros que foram perdendo a vez na fila de espera. PLAY.

SLOW MOTION:

«Babor Casanova» - de Karim Sayad

Não é só um jogo de 90 minutos, 22 homens e uma bola. Não é só o soundbyte na sala de imprensa, no programa de segunda à noite ou na entrevista exclusiva ao jornal do costume.

O futebol é um potente vínculo emocional, um pilar mestre na vida de milhões, um túnel para a fuga à realidade – tantas vezes dura, tantas vezes cruel.

Babor Casanova fala-nos desse poço de misericórdia, desse cordão umbilical ensaiado para salvar existências erráticas. Estamos em Argel, Argélia, e acompanhamos dois amigos, Adlan e Terrorista.

Ganham a vida a estacionar carros, em esquemas mais ou menos lícitos, sem ponta de preocupação pelo dia de amanhã. A não ser que o amanhã seja o dia de jogo do Mouloudia Football Club.

Sim, para estes adolescentes argelinos só o domingo à tarde e o Mouloudia trazem algum significado ao despertar. Pelo menos até ao dia em que apanhem um navio e fujam para a Europa.

Um documentário fortíssimo assinado por Karim Sayad, multi-premiado realizador de Sobre Ovelhas e Homens. Sim, o futebol é mesmo o mais importante das coisas menos importantes na vida.

PS: «HHhH – O homem do coração de ferro» – de Cédric Jimenez

Reinhard Heydrich, o homem da Solução Final engendrada pelo pestilento regime nazi, tem de morrer. Mas como?

A resistência checa tentará em Praga aniquilar um dos oficiais de maior patente do exército alemão.

Jason Clarke (00:30 – A Hora Negra, Evereste) interpreta o intrépido Heydrich, mas é a esposa Lina (Rosamund Pike) quem enche o ecrã nas curtas aparições.

Um excelente programa para uma tarde de cinema.

SOUNDCHECK:

«Aqui é o país do futebol» - de Milton Nascimento

A homenagem de Milton ao amigo Tostão, um dos melhores futebolistas brasileiros de todos os tempos, faz-se neste ritmo de ginga e drible de corpo. É cantar e imaginar Tostão de bola colada no pé. Ai as saudades, ai ai.

«Brasil está vazio na tarde de domingo, né?

Olha o sambão, aqui é o país do futebol

Brasil está vazio na tarde de domingo, né?

Olha o sambão, aqui é o país do futebol

No fundo desse país

Ao longo das avenidas

Nos campos de terra e grama

Brasil só é futebol

Nesses noventa minutos

De emoção e alegria

Esqueço a casa e o trabalho

A vida fica lá fora

A cama... »

PS: «Songs of Experience» - dos U2

Disco número 14 na longa existência do quarteto de Dublin. Depois da inocência (Songs of Innocence, 2014), a experiência. Bono, The Edge, Clayton e Mullen sabem que já fizeram muito melhor, sabem que as novas músicas têm algum encanto, mas zero drama.

Boas para passar na rádio, numa tarde descontraída, sem grandes exigências. Falta essência, falta intensidade, falta paixão ao novo álbum dos respeitáveis U2.

CULTURA POPULAR:

Matosinhos, 16 de dezembro: a Sueca para espantar a doença

Quem conhece o Jardim Basílio Teles, em frente aos Paços do Concelho de Matosinhos, sabe que é um posto privilegiado de cultura popular. São largas dezenas os que procuram diariamente espantar a solidão e a doença jogando à Sueca ou ao dominó, faça frio ou calor, de janeiro a dezembro.

O hábito está tão enraizado que vai dar lugar ao I Campeonato de Sueca de Matosinhos. Realiza-se no próximo dia 16 de dezembro e junta os convivas do costume, reforçados naturalmente por gente de outras paragens.

A organização está a cargo da agência Busílis da Comunicação e conta com o apoio da autarquia matosinhense.

«PLAY» é um espaço de opinião/sugestão do jornalista Pedro Jorge da Cunha. Pode indicar-lhe outros filmes, músicas e/ou livros através do e-mail pcunha@mediacapital.pt. Siga-o no Twitter.