«Tenho o dever de assumir uma responsabilidade, que é treinar o Sporting, como fiz até aqui. Disse que iria terminar um ciclo, depois o Sporting irá iniciar outro, resta saber se com o mesmo treinador ou não. Não me parece que seja uma situação importante, a decisão terá de ser ponderada até final da temporada. Sabemos as circunstâncias em que vive o Sporting nesta altura. Estamos a preparar-nos para os sete jogos que faltam no campeonato. No momento certo, transmitirei a minha opinião», começa por dizer.

Bento promete transmitir a sua decisão a jogadores e dirigentes, em momento oportuno. «É algo que está a ser pensado há muito tempo. Se eu tivesse tomado uma decisão, a direcção e os jogadores saberiam. Também já disse que não sei se serei convidado ou não a continuar no Sporting, portanto aí nem teria de me manifestar. A minha decisão não está transmitida nem tomada. O treinador não é diferente dos outros elementos do grupo de trabalho, tem de pensar no seu futuro, mas vou pensar primeiro no Sporting», promete.

«Estou grato ao Sporting»

O técnico mostra-se satisfeito com o apoio transmitido publicamente por várias figuras influentes do Sporting. «Aquilo que sinto é que, se nada de anormal acontecer, serei treinador do Sporting até final da temporada. Depois, ninguém sabe. No plano pessoal, esse apoio poderá alimentar um pouco o ego, mas temos de pensar primeiro no que é melhor para o Sporting. Esse é o meu dever até Junho de 2009. Estou grato ao Sporting, mas não é uma questão de me sentir em dívida. Aquilo que fiz pelo Sporting é menos do que o Sporting me deu a mim. Mesmo no final do contrato, continuará a ser menos. Disso não tenho dúvidas», considera.

Paulo Bento já passou por períodos de desgaste no futebol português, mas isso não o fará emigrar no futuro próximo. «Não sei o que virá no futuro, mas não terá a ver com esse facto. O treinador tem de ser o primeiro a dar a cara pelos seus jogadores, nalguns momentos poderemos sentir-nos mais cansados, mas isso irá acontecer em vários momentos da carreira, que não sei quanto tempo durará. Espero que seja pelo menos tanto tempo como foi a carreira de jogador», atira.

O treinador do Sporting mostrou-se desagradado com as comparações da sua situação com a de Quique Flores no Benfica. «Comparou-se muito várias situações e não tem porquê fazer isso. O Benfica tem um treinador com contrato, é diferente. Não tenho qualquer problema em tomar decisões, mesmo face a esta situação. Não sei se esta indefinição prejudica ou não as equipas, o que nos preocupa é manter a organização, a consistência, manter a qualidade em vários momentos de jogo. Temos de manter atributos demonstrados no último jogo e melhorar um pouco a eficácia ofensiva», conclui Bento.