As investigações começaram em 2005 e já foram questionados jogadores, dirigentes, árbitros, membros da Federação e um adepto daquele que é um dos países organizadores do Euro 2012, em conjunto com a Ucrânia.

O caso mais mediático foi o do árbitro Grzegorz Gilewski, detido em Dezembro do último ano, que se encontrava na lista da federação para ir ao Mundial 2010.

O número de árbitros envolvidos no processo já levou a que faltem os juízes qualificados para os jogos do campeonato polaco. O ministro do desporto, Miroslav Drzewiecki, já admitiu contratar árbitros checos e alemães.