«Transferi-me para um grande clube. Quando recebemos um convite deste género não há quaisquer dúvidas. Vou continuar na minha cidade, mas no melhor clube da Europa»

Raul Meireles nasceu no Porto, cidade onde sempre jogou, faz hoje precisamente 26 anos (17 de Março 1983). O número 16 dos tricampeões nacionais está de parabéns. E não é só pelo aniversário.

Meireles formou-se no Boavista, mas despontou no Desportivo das Aves, clube onde se estreou como profissional, ainda com idade de júnior, e fez toda a época 2001/2002. Em 2003 regressou ao Bessa para se impor e comandar o meio campo axadrezado. Aos 21 anos realizou 29 jogos na Superliga e chamou a atenção do vencedor da Taça UEFA e entretanto campeão europeu, F.C. Porto.

Ao longo deste percurso foi presença assídua nas convocatórias das selecções jovens, tendo vencido o Campeonato da Europa de sub-16 em 2000 e feito parte da Selecção sub-21 que terminou o Campeonato da Europa do escalão em terceiro lugar e por isso atingiu os Jogos Olímpicos de Atenas (2004).

A entrada no F.C. Porto não foi fácil para Raul. Apanhou o clube numa fase de transição (três treinadores numa época¿) e foi disputando o lugar com concorrência forte. Esteve para sair por empréstimo, mas com Adriaanse conseguiu um lugar no meio campo de três elementos. A partir daí foi sempre a somar. Não é de estranhar que a titularidade na selecção principal tenha entrado nos seus horizontes e no seu currículo.

Seja pelos passes seguros, pelas aberturas milimétricas, pela entrega em campo, pelo remate forte, há quem diga, no universo azul e branco e fora dele, que Raul Meireles não sabe jogar mal, mesmo que esteja um pouco mais apagado em determinada partida. Jesualdo conta com o número 16 sempre que ele está disponível: esta época, contanto apenas Liga e Liga dos Campeões, o médio leva 2436 minutos nas pernas e três golos apontados.

É verdade que Meireles é dos jogadores portistas com maior pontaria aos ferros, se não estaríamos a falar de outros números, nem por isso surpreendentes tendo em conta o pontapé-canhão de um dos jogadores aparentemente mais frágeis que se podem encontrar no campeonato português. Meireles mede 1,79 cm e pesa 70 kg. É quase um peso-pluma.

Apesar de franzino, mostra em campo uma força extraordinária, que aplica em cada lance. Sai de campo exausto, o que pode ajudar a explicar o facto de o 16 ser o jogador mais vezes substituído nos azuis e brancos, quase sempre por volta da hora de jogo.