Miguel Cardoso fez questão de defender a sua ideia de jogo para o Rio Ave, após o 5-0 sofrido no Dragão. O técnico considerou, de resto, ter controlado melhor os ataques rápidos do FC Porto, em comparação com o jogo de dezembro para a Taça da Liga:

«Tivemos uma má entrada no jogo. Fizemos uma primeira parte onde a eficácia do FC Porto nos penalizou. Tentámos controlar algumas situações e acho que conseguimos gerir algumas coisas que não conseguimos no jogo anterior aqui. Sofremos golos de bola parada, porque a dimensão atlética do FC Porto é complicada. Tentámos bloqueios, perturbar o ataque à bola, mas não conseguimos. E o terceiro golo é fortuito.»

[sobre o resultado pesado]

«Quando perdemos 5-0 é importante encontrar justificações, mas para o trabalho que se vai fazer na próxima semana. Teremos de projetar coisas melhores para o próximo jogo.. Fizemos 30 minutos bons na segunda parte e voltámos a sofrer de bola parada. Não fomos competentes nesses lances. Podíamos ter marcado, tivemos até uma vantagem numérica numa transição rápida. Mas contra uma equipa desta dimensão… somos penalizados.»

[sobre a ideia de jogo]

«Não houve grandes desvios em termos comportamentais e isso é fundamental. Não somos aquilo que nos acontece, somos mais do que isso. Se nos agarráramos a este 5-0, não conseguiremos dar a volta e competir no futuro.»

«Não partilho de todo [a ideia de romantismo], esta equipa não é desequilibrada contra os grandes. Se compararmos ao longo da história… este ano ganhámos e empatámos contra o Benfica e fizemos bons jogos em casa contra os outros grandes. Na Luz estávamos a ganhar 1-0. Peço que entendam o que é a dimensão destes clubes, principalmente depois de perder contra o Liverpool.»

««A minha equipa não é romântica, é apaixonada. É melhor. Estamos no quinto lugar. Conseguimos controlar os ataques rápidos do FC Porto, mas quando se perde 5-0… há que valorizar o que fizemos e mantivemos um conjunto de processos bom. Mas estávamos num contexto particularmente difícil.»