«Não vou estar a comentar isso, é um castigo que a Liga aplicou, provavelmente porque está nos regulamentos da Liga. Não gosto de estar tão pouco a falar do que foi o F.C. Porto-Benfica há um tempo atrás, se a Liga decidiu assim é porque está nos regulamentos», destacou o dirigente à margem da visita à Liga de Bombeiros onde vai ser, pelo segundo ano consecutivo, o patrono do torneio daquela instituição.

Quanto ao facto do Estrela da Amadora, o próximo adversário do clube da Luz, não treinar em protesto contra os salários em atraso, Rui Costa lamenta, mas garante que a equipa não conta com facilidades da parte do adversário.

«Lamento pela situação que o Estrela está a viver, como estão a viver outros clubes em Portugal. Em relação ao jogo em si, da nossa parte não podemos estar com mais ou menos optimismo pelo Estrela estar a treinar ou não. O ano passado lembro que fomos lá jogar o apuramento para a Liga dos Campeões numa semana em que o Estrela estava a viver o mesmo período que está agora e não foi por isso que deixou de lutar dentro de campo e empatou com toda a dignidade. Com certeza que facilidades não vamos encontrar», comentou.

Quanto aos sucessivos nomes que têm sido apresentados diariamente pela imprensa como possíveis reforços, Rui Costa afastou o alegado interesse no guarda-redes Espinoza. «Podem fazer essas perguntas todos os dias, eu é que não estou obrigado a responder todos os dias. Todos os dias há jogadores em primeira página para o Benfica porque algum jogador se quer valorizar ou porque a imprensa descobre coisas que não há para descobrir. Só demonstra que o Benfica é um clube grande. A seguir esse raciocínio o Benfica para a época 2009/10 já tinha dez equipas. 99,9 por cento como vem hoje no jornal «A Bola» é falso», referiu.