«Este treinador é o mesmo que aquele que quando chegou ao Benfica as pessoas ficaram contentes e viram melhoramentos. Se alguma coisa não correu de feição até aqui, nunca se pode responsabilizar uma pessoa só. Quique Flores tem a minha confiança e vai continuar a ter, porque o seu trabalho diário assim obriga», defendeu o director desportivo, nos cerca de seis minutos de entrevista à Benfica TV.

O antigo jogador reconheceu que as críticas acentuam-se após as derrotas, referindo-se ao passado fim-de-semana, quando o V. Guimarães venceu na Luz, por 1-0, contudo, lembrou que o título ainda pode ser conquistado e que não admite que alguém pense o contrário.

«Impossível é uma palavra que não aceito no balneário. Propusemo-nos lutar pelo campeonato até à última jornada e não permito que alguém, dentro da estrutura, pense que é impossível ganhar o campeonato. Há oito jornadas para disputar, muitos pontos para fazer e o Benfica vai lutar até ao fim», garantiu Rui Costa, admitindo que os encarnados estão «famintos», mas que «não podem desmoronar» sempre que há um percalço.

«As contratações, o dinheiro gasto... tudo pode ser discutível, o que não pode ser posto em causa é o Benfica. Quando este treinador chegou as pessoas elogiaram a equipa pela dinâmica, pelas contratações, falavam de como o Benfica tinha chegado a estas aquisições. (...) Traçámos um caminho e nem tudo no primeiro ano pode correr de feição. Não fizemos algo para durar só um ano e sim para abrir ciclos ganhadores no Benfica. É dentro desta linha que vamos continuar o nosso caminho. Nunca como no passado, em que tínhamos de alterar tudo no final da época», reiterou o director desportivo, a poucos dias da primeira final da temporada, frente ao Sporting, na Taça da Liga.