Figura: Gonçalo Guedes

A figura da noite, sim, mas mais do que isso: o vencedor da noite. Marcou dois golos à ponta de lança e terá ganhado a corrida a André Silva pelo lugar ao lado de Ronaldo. Guedes surge bem mais confiante do que o avançado do Milan, o que é natural depois da boa época que fez em Valencia. Com isso trouxe agressividade ao ataque, e dois golos: o dobro dos que já tinha feito na Seleção.

Positivo: Bruno Fernandes

Tinha - como Guedes, mas provavelmente até mais - muito para mostrar neste jogo: está ali na luta com João Mário pelo lado esquerdo do meio campo. Pois bem, Bruno Fernandes respondeu com uma bela exibição, e terá até complicado as contas de Fernando Santos. Fez um golo, o primeiro pela Seleção, recuperou várias bolas e, sobretudo, espalhou magia numa mão cheia de passes.

Negativo: Argélia explica-nos por que não está no Mundial

A Argélia foi uma deceção. Apesar do enorme talento de Mahrez ou Brahimi, apesar da geometria de Bentaleb, apesar da fogosidade de Slimani, foi uma debilidade confrangedora: os jogadores distantes do jogo, ausentes, sempre a discutir uns com os outros, e sem capacidade para segurar sequer a bola perante o forte pressing de Portugal. Explicou-nos por que fica de fora do Mundial.

OUTROS DESTAQUES:

Cristiano Ronaldo

Fez o jogo 150 pela Seleção Nacional, na estreia neste estágio de preparação para o Mundial, tendo dado tudo ao jogo, procurado a bola, tentado marcar de todas as formas. Não o conseguiu, mas fez a assistência para o golo de Bruno Fernandes. Foi ovacionado à saída, por um público que o adora.

João Moutinho

Começou a precaver-se para evitar o que lhe aconteceu no Euro 2016, quando perdeu a titularidade para Adrien, que tem a vantagem de ser mais forte no pressing à primeira linha adversária. Por isso fez um jogo em alta rotação, sempre na linha da bola, no comando do jogo. Uma ótima exibição.

William Carvalho

A importância de William nesta Seleção ficou patente, por exemplo, aos 17 minutos, numa abertura a regra e esquadro para Bernardo Silva assistir Guedes para o primeiro golo. Um passe que desbloqueou a vitória da Seleção. Mas William é muito aquilo: um trinco admirável a construir.

Raphael Guerreiro

Depois de uma época difícil, durante a qual jogou muito menos do que seria recomendável, parecia ser uma incógnita na Seleção. Pelo jogou desta noite, porém, está tudo bem com ele: percorreu várias vezes o corredor, apoiou o ataque e até fez a assistência para o segundo golo de Guedes.