A Selecção Nacional aterrou ao início da manhã desta quinta-feira no aeroporto de Lisboa, onde tinha à espera cerca de meia centena de pessoas. Se alguns adeptos mostravam cartazes e gritavam palavras de apoio, outros manifestavam a sua indignação pela prestação no Mundial.

Selecção chegou cedo: Coentrão aplaudido, Queiroz assobiado

Carlos Queiroz, um dos primeiros a sair pela porta VIP do aeroporto, não foi poupado e, durante os minutos que falou com jornalistas, ouviu críticas a sair de um megafone.

Demissão de Queiroz «absolutamente» fora de questão

Queiroz não concorda com Mourinho: «Tivemos uma equipa»

Sempre com um sorriso, o seleccionador não se mostrou abalado, voltou a elogiar a campanha da equipa portuguesa na África do Sul e afirmou que, agora, é tempo de reflexão.

«As respostas têm de ser dadas depois de reflectirmos, para darmos a resposta certa. É tempo de descansar, analisarmos com toda a tranquilidade o que esteve bem e o que esteve mal e, em Setembro, darmos as respostas certas à equipa nacional, para estarmos mais fortes», disse Queiroz.

Apesar da desilusão, o treinador garante que o ambiente na equipa «está bom, está fantástico». «Estamos um pouco desiludidos por termos sido eliminados do Campeonato do Mundo, porque a nossa ambição era grande. Mas estamos com a consciência tranquila, fizemos um bom trabalho. Foi o dever cumprido. Dignificámos e prestigiámos o futebol português. Perdemos com uma grande equipa que é a Espanha. Agora só temos que fazer uma coisa: descansar, concentrarmo-nos naquilo que tem de mudar e voltarmos mais fortes», reforçou o seleccionador.