Nélson Oliveira, jogador da Selecção Nacional sub-21, analisa a goleada à Moldávia (5-0), para a qual contribuiu com dois golos:

«Entrámos muito fortes. Tornámos o jogo fácil. Construímos cedo um resultado volumoso, e depois gerimos o resultado. É sempre bom marcar. Um ponta de lança vive de golos. Mas se tivesse marcado e a equipa tivesse perdido não seria bom.»

[sobre o apuramento] «Acreditamos na qualificação. Sabemos o valor que temos. Não somos inferiores a Polónia e Rússia.»

[sobre a substituição, justificada por Rui Jorge com a falta de ritmo] «Não me senti cansado, mas é natural que fiquemos cansados mais cedo. O mister optou por poupar-me, só tenho de respeitar. Somos um grupo.»

[sobre o jogo da selecção principal] «Vamos estar todos a vibrar. A selecção vai ser capaz de dar a volta.»

[sobre a nomeação para o prémio «Golden Boy (veja os candidatos na galeria de fotos)»] «É bom. É o reconhecimento do meu trabalho, sobretudo no Mundial sub-20. É um orgulho.»

[sobre a escassa utilização no Benfica] «Não penso nisso. Agora estou na Selecção. Tenho de trabalhar diariamente.»