«Os adeptos conhecem-me como ninguém e sabem que darei o máximo nas próximas oito semanas», destacou o antigo internacional inglês, de 38 anos, que assinou um contrato até ao final da época que conta com um prémio chorudo caso assegura a continuidade da equipa no primeiro escalão.

O novo técnico deixou a sua marca bem vincada no clube, antes de se retirar em Abril de 2006, destacando-se como o melhor marcador de todos os tempos com um total de 206 golos. Desde a retirada, Shearer tem trabalhado como comentador desportivo na cadeia de televisão BBC, tendo, entretanto, rejeitado propostas da selecção inglesa e do próprio Newcastle que agora vai orientar.

«Podia continuar a sentar-me no sofá aos sábados à noite a analisar e a criticar. É um trabalho fantástico, adorei fazê-lo, mas a oportunidade surgiu na altura certa e acredito que posso ajudar este clube a sair da posição e que se encontra», destacou o antigo avançado em alusão ao 18º lugar que os Magpies ocupam actualmente na classificação.

Alan Shearer confia na qualidade dos jogadores, entre os quais Michael Owen, que chegou a ser seu companheiro de selecção, mas defende que o conjunto precisa de «uma injecção de confiança» para se superiorizar. «Não estaria aqui se não achasse que o plantel tem qualidade. Existe valor, mas eles estão a jogar sem confiança, portanto, é meu dever dar a volta à situação», destacou o novo treinador que, no entanto, rejeita o papel de salvador.

O antigo avançado, que vai ter o norte-irlandês Iain Dowie como adjunto, é o quarto treinador do Newcastle na presente temporada, depois de Kevin Keegan, Joe Kinnear e Chris Hugton terem sido demitidos pelo proprietário Mike Ashley.

Alan Shearer estreia-se já este sábado com um jogo de elevado grau de dificuldade diante do Chelsea de Hiddink, actual terceiro classificado da Premier League.