A ideia partiu do antigo velocista Francis Dove Edwin, natural da Serra Leoa, um dos países mais afetados pela epidemia. «Todos juntos podemos fazer a diferença», apontou Dove Edwin, que decidiu lançar um apelo à Associação de Desportistas Olímpicos (WOA) para que desse uma ajuda.

Usain Bolt, por exemplo, já doou um par de ténis, com a sua assinatura, para que seja leiloado.

A WOA pediu aos cem mil membros da comunidade olímpica que divulguem a causa nas redes sociais e também a página destinada aos donativos.