Sorteio Mundial 2014: como vai ser

Adversário de Portugal começam a ser sair às 16:51. Acompanhe tudo no Maisfutebol

Por Redação       6 de Dezembro de 2013 às 10:46
Sorteio Mundial 2014: como vai ser

A cerimónia do sorteio da fase de grupos do Mundial 2014 arranca esta sexta-feira, às 16 horas (hora portuguesa), mas só precisa de ficar ansioso às
16:51.

Como sempre, antes do que realmente interessa haverá vários passos. Na Costa do Sauipe (Bahia) não será diferente.

O secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke, vai dirigir o sorteio e contará com a ajuda dos ex-jogadores Alcides Ghiggia, Geoff Hurst, Cafu, Fabio Cannavaro, Mario Kempes, Fernando Hierro, Zinedine Zidane e Lothar Matthäus.

De acordo com a ordem estabelecida, além da atuação de artistas como Alcione e Emicida, a dupla Vanessa da Mata e Alexandre Pires, a famosa coreógrafa Deborah Colker e os baianos Margareth Menezes e Olodum, a FIFA dará a conhecer as equipas, a mascote, a bola oficial e as cidades que receberão jogos no Verão de 2014.

A excitação arranca efetivamente às 16:51, se o horário for cumprido.

A cerimónia tem final previsto para as 17:26. Terá todos os detalhes no Maisfutebol, antes, durante e depois do evento.

Os potes

Recorde-se que a seleção portuguesa vai ficar no pote 4 do sorteio do Mundial 2014, juntamente com outras oito equipas europeias que não são cabeças de série.

O pote 1 é constituído por Brasil, Espanha, Alemanha, Argentina, Colômbia, Bélgica, Suíça e Uruguai. O segundo terá apenas sete: as equipas africanas e as duas sul-americanas que sobram, Chile e Equador. O terceiro será composto por Austrália, Irão, Japão, Coreia do Sul, Costa Rica, Honduras, México e EUA.

A FIFA decidiu inovar e a França não vai para o pote 2. No pote 4 era a pior classificada no ranking de outubro, que foi utilizado para definir os cabeças de série, mas vai lá estar nesse grupo, com outras oito equipas. De acordo com a FIFA, será sorteada uma equipa do pote 4 que terá, obrigatoriamente, de calhar com uma das sul-americanas do pote 1: Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai.

Isto porque o critério geográfico que sempre houve mantém-se: ou seja, não pode haver mais de duas equipas europeias por grupo (com a exceção de um), nem nenhuma das outras confederações pode ser repetida: ou seja, não pode haver duas seleções da América do Sul no mesmo grupo.

Prémios para as seleções

A Federação Portuguesa de Futebol vai ganhar no mínimo 9,5 milhões de dólares (cerca de 6,957 milhões de euros) com a participação da seleção nacional no Mundial2014.

A FIFA conta entregar a todas federações 5,859 milhões de euros pela realização dos três jogos na fase de grupos, mais um milhão de euros para custear as despesas de preparação e participação na prova. Quase sete milhões de euros é portanto o valor que cada seleção ganha por estar no Mundial, sendo que a partir do apuramento para os oitavos de final o valor aumenta, naturalmente.

Uma seleção que seja eliminada nos oitavos de final, por exemplo, soma 6,586 milhões de euros aos 6,957 que já recebeu pela presença na fase de grupos. As seleções que forem eliminadas nos quartos de final, por outro lado, somam mais 10,247 milhões de euros ao valor da fase de grupos. O quarto classificado soma 14,642 milhões de euros ao valor inicial, o terceiro classificado soma 16,106 milhões de euros e o segundo classificado soma 18,299 milhões de euros. Já a seleção campeã mundial soma 25,617 milhões de euros ao valor inicial, o que dará um total superior a 32 milhões de euros.

A FIFA vai distribuir assim 358 milhões de euros de prémios pelas 32 seleções presentes no Mundial 2014. Refira-se que a FIFA tem também 70 milhões de euros disponíveis para distribuir pelos clubes que cedam às seleções jogadores que estejam presentes no Brasil.

Platini, outra vez

O facto da França não ter ficado no pote 2 não é a única bizarria deste Mundial. Nesta quinta-feira soube-se que o presidente da UEFA, Michel Platini, propôs trocar os cartões amarelos por exclusões temporárias do jogador.

«Eu mudaria o sistema de advertências, os cartões», disse o francês em entrevista ao AS. Platini explicou depois que em vez de receber um cartão amarelo «um jogador ficaria 10 ou 15 minutos fora do jogo».

O presidente da UEFA considera que «dessa forma, o benefício é da equipa opositora, no mesmo jogo, em vez de uma punição que transita para o jogo contra uma terceira equipa, a próxima no calendário».

Depois de lançar «apenas uma ideia», Platini concluiu: «Agora precisa de amadurecer para vermos se pode realmente ser bom para o jogo. É uma proposta a ser explorada.»

A sugestão parece ter vingado, dado que Comité Executivo da FIFA anunciou que o Campeonato do Mundo vai ter pausas durante os jogos, caso as temperaturas superem os 32 graus. As paragens terão lugar após o minuto 30 de cada uma das partes de um encontro, sempre que a temperatura a isso exija.

Algumas das cidade-sede do Mundial têm habitualmente a temperatura a rondar os 32 graus por ocasião da prova, casos de Natal, Fortaleza, Recife e Manaus, às quais ainda se podem juntar Salvador e Rio de Janeiro.


PUBLICIDADE

Comentários
Maisfutebol de A a Z
Ver todos
X
Y
MAISFUTEBOL COPYRIGHT © 2013 IOL.PT