O preço do jogador no mercado tem baixado a pique e se os leões decidirem transaccionar o seu passe irão, muito provavelmente, lucrar bem menos do que aquilo que seria as suas expectativas quando resolveram recusar as abordagens feitas em Janeiro.

Tudo isto poderia ter sido acautelado, com um custo quase irrisório atendendo aos montantes em jogo. Quem o afirma é Jorge Silvério, professor da Universidade do Minho e conhecido especialista na área da psicologia do Desporto.

«Se o Miguel Veloso tivesse o acompanhamento de um psicólogo do Desporto muitos destes problemas e conflitos poderiam ser evitados. A relutância em contratar estes profissionais por parte dos clubes deve-se, também, a questões de ordem financeiras mas quando pensamos num jogador como este, cujo valor de mercado tem baixado, se calhar essa perda daria para pagar o salário de toda a vida de um psicólogo», referiu o docente e investigador.

Jorge Silvério falava à margem da apresentação do Seminário de Psicologia organizado pelo Departamento de Formação da Académica, que terá lugar dia 28, e aproveitou para fazer um ponto de situação quanto à presença de pessoas com conhecimentos de psicologia nos clubes: «Actualmente, como é público, da Liga principal apenas o F.C. Porto tem um especialista. Os clubes ainda não estão sensibilizados para o impacto dos factores mentais no meio desportivo.»

Parte do sucesso dos campeões nacionais, segundo Jorge Silvério, poderá explicar-se também pela importância dada a questões que os outros desprezam: «Não querendo puxar a brasa à minha sardinha, essa leitura ficará para quem a quiser fazer, mas, do meu ponto de vista, é claro que acredito nisso.»