Salema Garção questiona o silêncio da Liga de Clubes. «Neste momento, deve haver muito poucos árbitros com condições para arbitrar, tendo em conta a, agora notória, reacção corporativa contra um clube que comete o grave pecado de não pressionar ninguém, nem pedir reuniões a uma Comissão de Arbitragem em que não acredita.»

Pelo meio o Sporting criticou também as declarações de Pais António, assistente de Lucílio Baptista, que já esta segunda-feira disse que voltaria a tomar a mesma decisão e que sentiu necessidade de sair em auxílio do líder de equipa. «As suas declarações são a machadada final neste processo podre», garantiu.