Depois de Rui Patrício, foi Daniel Podence quem quebrou o silêncio para explicar a saída do Sporting e para despedir-se dos adeptos leoninos. O jogador de 22 anos garantiu que a passagem por Alvalade terminou em definitivo e mostrou-se «grato» pelos 13 anos no clube.

O avançado referiu que «sente necessidade de mudar pela paixão pelo futebol» e explicou também que «ninguém o ensinou a lidar com um ambiente de ameaças e de violência». 

Declaração de Podence na íntegra:

«A todos os Sportinguistas:

Não me pronunciei antes sobre assunto por ainda não saber o meu futuro, sendo que esse poderia ser no Sporting Clube de Portugal. Definitivamente, a minha passagem pelo Sporting acabou e essa passagem não foi curta. Por isso, a decisão que tomei foi a mais refletida possível. Nunca deixaria o Sporting se assim não fosse.

Foram 13 anos de Leão ao peito, dos quais eu tenho o maior orgulho e estarei eternamente grato. Eu cresci no Sporting. A minha formação pessoal e desportiva devo-a ao Sporting. Cruzei-me com pessoas que levo para toda a vida. Foi também onde apurei ainda mais a minha paixão pelo futebol, daí sentir a necessidade de mudar. Para mim o futebol é um modo de estar na vida, é condição para o meu equilíbrio emocional e com os acontecimentos recentes eu deixei de encontrar a harmonia que preciso para jogar. Apesar de tudo que o Sporting me ensinou, ninguém me ensinou a lidar com um ambiente de ameaças, de violência, onde temo pela minha segurança e pela da minha família e nem deveriam ter ensinado porque o futebol ou outro desporto não devem ser assim.

Nós, profissionais de futebol, somos muito mais do que as quatro linhas. Temos família, amigos e sentimentos, mas essas barreiras nem sempre foram respeitadas.

Desta forma, vou a procura de novos objectivos, sempre a tentar dar o melhor de mim mas nunca, de maneira alguma, esquecerei o clube que tanto me deu e que estará sempre no meu coração.

Digo-vos isto com toda a sinceridade e agradeço, pelo menos, respeito.

Obrigado Sporting Clube de Portugal! E a todos aqueles que me têm apoiado.»

 

A todos os Sportinguistas: Não me pronunciei antes sobre o assunto por ainda não saber o meu futuro, sendo que esse poderia ser no Sporting Clube de Portugal. Definitivamente, a minha passagem pelo Sporting acabou e essa passagem não foi curta. Por isso, a decisão que tomei foi a mais refletida possível. Nunca deixaria o Sporting se assim não fosse. Foram 13 anos de Leão ao peito, dos quais eu tenho o maior orgulho e estarei eternamente grato. Eu cresci no Sporting. A minha formação pessoal e desportiva devo-a ao Sporting. Cruzei-me com pessoas que levo para toda a vida. Foi também onde apurei ainda mais a minha paixão pelo futebol, daí sentir a necessidade de mudar. Para mim o futebol é um modo de estar na vida, é condição para o meu equilíbrio emocional e com os acontecimentos recentes eu deixei de encontrar a harmonia que preciso para jogar. Apesar de tudo que o Sporting me ensinou, ninguém me ensinou a lidar com um ambiente de ameaças, de violência, onde temo pela minha segurança e pela da minha família e nem deveriam ter ensinado porque o futebol ou outro desporto não devem ser assim. Nós, profissionais de futebol, somos muito mais do que as quatro linhas. Temos família, amigos e sentimentos, mas essas barreiras nem sempre foram respeitadas. Desta forma, vou a procura de novos objectivos, sempre a tentar dar o melhor de mim mas nunca, de maneira alguma, esquecerei o clube que tanto me deu e que estará sempre no meu coração. Digo-vos isto com toda a sinceridade e agradeço, pelo menos, respeito. Obrigado Sporting Clube de Portugal! E a todos aqueles que me têm apoiado. Daniel Castelo Podence

Uma publicação partilhada por Daniel Podence 🇵🇹 (@podence) a