O Sporting é tricampeão de juniores. Venceu o F.C. Porto em Alvalade, quando só necessitava de um empate, numa reedição do campeonato de 2007/08. O Sporting venceu e é campeão, mas não convenceu frente aos portistas. No final, resolveu o talento individual que desponta na Academia.

Os azuis e brancos estavam arredados do título e um triunfo sobre os leões podia dar o campeonato ao rival Benfica. O Sporting sabia que uma igualdade bastava, mas não encontrou facilidades no rival da Invicta. Pelo contrário, o F.C. Porto foi um digno vencido. Aliás, até nem merecia ter perdido o encontro.

Os portistas entraram melhor na partida, com Pipo a atirar para uma primeira defesa de Ruben Luís. Sete minutos depois, os leões atiravam à baliza, por William Carvalho. O jogo tornou-se fácil de descrever a partir desse momento. O F.C. Porto tinha a posse de bola, o leão era cínico e saía rápido para o ataque. Ou seja, os dragões trocavam a bola no meio-campo leonino, mas eram os verdes e brancos que chegavam com perigo à baliza de Rafa.

No segundo lance de registo ofensivo dos leões, apareceu a vantagem. Um lance individual de Renato Neto, que teve categoria para, sozinho, abrir a defesa portista e bater Rafa. O Sporting descansava, pois se necessitava apenas de um empate, o 1-0 no marcador de Alvalade era margem suficiente para gerir a conquista do campeonato.

Até ao intervalo, o jogo manteve-se igual, com o F.C. Porto a mostrar boa conexão entre linhas, mas sempre com dificuldades para ultrapassar Nuno Reis e Mateus Silva, a dupla de centrais leonina.

F.C. Porto reage, mas do Seixal veio mais tranquilidade

Na segunda parte, os portistas reagiram de modo mais assertivo. Começaram a incomodar Ruben Luís, cuja insegurança entre as redes se transformava em aflição na bancada. Sobretudo quando Pipo conseguia alvejar a baliza. Era o ponta-de-lança portista que deixava alguma incerteza no resultado.

No entanto, o tic-tac do relógio e o empate do Vitória de Guimarães no Seixal soltaram mais cedo os cânticos em Alvalade (não houvesse uma final na Luz, em futsal, e certamente haveria mais apoio). O Sporting rematou pela primeira vez na segunda parte aos 70 minutos, quando, talvez, a conquista do título já tivesse ocupado as mentes leoninas.

O campeão foi cínico na última ronda, mas no troféu que vai para a Academia isso não está lá escrito. Pelo contrário, a inscrição diz mesmo Campeão 2009/10, desta vez sem polémica, sem a disciplina ter de resolver fora de campo, como aconteceu na época passada.

FICHA DE JOGO

Estádio: José Alvalade

Árbitro: Nuno Roque (Coimbra)

Sporting: Ruben Luís; Cedric Soares, Mateus Silva, Nuno Reis e Garza; Renato Neto (Alexis Quintulen, 89), Luís Almeida e William Carvalho (Afonso Taira, 59); Renato Santos (Henrique Gomes, 54), Baldé e José Lopes

F.C. Porto: Rafa; David (Claro, 82), Hugo, Ricardo e Katalin; Renato e Dias; Caetano, Amorim (Alex, 46) e Christian (Engin, 74); Pipo

Ao intervalo: 1-0

Golo: Renato Neto, 15m

Disciplina: cartão amarelo a Ricardo (66m), Baldé (77m) e Dias (79)