Não por ser um jogador especial, apenas porque o histórico recente dele não era bom.

«Nós sabemos da qualidade do Nani, mas também estamos conscientes dos problemas físicos que ele teve nos últimos dois anos», recordou.

«Por isso, não eu, mas nós o Sporting, a equipa técnica e neste caso o departamento clínico, temos tido a preocupação para que ele esteja a jogar sistematicamente os noventa minutos, só não o fez uma vez, já tem onze ou doze jogos desde que chegou, em intensidades altas e com jogos de quatro em quatro dias.»

O resultado, acrescenta, tem sido excelente. Como é bom de ver.

«Nós temos tido esse cuidado e ele também tem feito um muito bom trabalho pós-jogo e pós-treino. Por isso para nós, e felizmente, os problemas físicos estão ultrapassados e vamos continuar a trabalhar desta forma. É sinal de que o trabalho que estamos a fazer tem sido bem feito e que ele está perto do seu melhor.»