Bom arranque da equipa portuguesa, com um resultado que certamente trará confiança e motivação para as hostes dos jovens lusos. Três golos na primeira parte e mais dois na etapa complementar carimbaram o resultado final.

Perante mais de dez mil espectadores a equipa de Portugal reagiu bem ao golo inaugural da equipa da Noruega e partiu para uma exibição segura e tranquila, com o expoente máximo no ataque com golos para todos os gostos. Mas nem sempre foi assim...

Fantasmas do passado chegaram a assustar

Afastada do último Campeonato da Europa, os fantasmas do passado ainda chegaram a pairar no Estádio Cidade de Barcelos. A equipas das quinas não entrou bem no jogo, algo nervosa e receosa, e acabou por sofrer golo à passagem do primeiro quarto de hora. Bakenga, de penálti, bateu José Sá num lance em que o árbitro alemão Tobias Welz se equivocou. A falta existe, mas fora da área.

Muitos passes errados e desconexão entre os sectores da equipa de Rui Jorge, que já perdia por uma bola a zero, iam comprometendo as movimentações da equipa que se soltou à passagem da meia hora com o golo do empate por Betinho.

A partir daí a equipa das quinas revolucionou-se por completo dando mostras de que está melhor do que no último europeu e quer marcar presença na República Checa no Campeonato da Europa de 2015. Depois de Ivan Cavaleiro ter consumado a cambalhota no marcador apenas quatro minutos depois do primeiro golo, Sérgio Oliveira fechou o primeiro tempo com o golo tranquilizador.

Goleada parou no quinto tento

O evoluir do marcador parou no quinto golo, apontado pelo recém-entrado Ricardo, que fixou o resultado final ao minuto 78. Já antes, William Carvalho tinha feito o quarto golo na conversão de uma grande penalidade, esta sim, bem assinalada por Tobias Welz.

Ficou-se pelos cinco a goleada de Portugal no primeiro jogo de qualificação para o Europeu 2015, mas até se podia ter alargado mais, não fosse a descontração já evidenciada pelo conjunto de Rui Jorge.

O público de Barcelos gostou, aplaudiu e até houve tempo para gritar «olés» com a troca de bola da equipa portuguesa. Não foi para menos, e os miúdos agradecem o carinho. Israel é o próximo adversário de Portugal em jogos oficiais, antes disso, terça-feira Rui Jorge testa a sua equipa com a Polónia em jogo de carácter particular.