A distribuição de bilhetes para o confronto entre Sporting e Benfica motivou protestos de vários quadrantes, sobretudo por parte dos adeptos algarvios, queixando-se de venda quase exclusiva em Lisboa. A procura foi imensa e os ingressos desapareceram num ápice, antevendo casa cheia no sábado à noite, com números próximos das 30 mil pessoas.

Face ao historial de rivalidade entre adeptos dos dois clubes, as forças de segurança montaram um dispositivo apertado para evitar problemas. A final da Taça da Liga contará com a presença de 450 elementos da Guarda Nacional Republicana e 250 stewards.

Nesta sexta-feira, véspera do encontro, o presidente da Liga de clubes participou numa conferência de imprensa associada à campanha de luta contra a fome. Amanhã, várias crianças surgirão em campo com camisolas alusivas a esta campanha, acompanhando os jogadores. As portas do Estádio Algarve abrem às 17h45. Duas horas depois, começa o encontro.