A história da Taça de Portugal está cheia de capítulos que contam os duelos entre FC Porto e Sporting. Esta quarta-feira, com personagens diferentes um novo capítulo será escrito.

O FC Porto vai entrar em Alvalade com a vantagem de um golo, alcançada na primeira mão. Uma cabeçada certeira de Tiquinho Soares deixa os dragões com melhores perspetivas para marcar presença no Estádio do Jamor. Nesta partida, o Sporting terá de fazer o que não consegue há mais de meio século: virar uma meia-final da Taça de Portugal.

O Maisfutebol folheou o farto livro da história da Taça de Portugal e encontrou quatro reviravoltas dos leões. Em sentido contrário, os dragões não seguraram a vantagem de um golo na única ocasião em que conseguiram esse resultado em meias-finais decididas em dois ou mais jogos. Foi em 2013/14 quando venceram o Benfica por 1-0 no Dragão, com golo de Jackson Martinez, antes de os «encarnados» darem a volta na Luz com uma vitória por 3-1.

 

Ernesto Figueiredo foi o protagonista da última «remontada» verde e branca nas meias-finais da Taça de Portugal

A última vez que os leões conseguiram uma remontada que lhes permitiu alcançar a final da Taça de Portugal, foi na longínqua temporada 1962/63. Ou seja, há 55 anos.

Nessa altura, o Sporting, orientado por Juca, perdeu o dérbi frente ao Benfica, no antigo Estádio José de Alvalade. O único golo da partida foi assinado por José Águas. Porém, uma semana depois, em pleno recinto encarnado, a formação verde e branca conseguiu virar o resultado e apurar-se para o jogo decisivo da prova rainha. Ernesto Figueiredo foi o herói do Sporting, ao marcar os dois golos do triunfo frente ao Benfica. A remontada foi tão épica, que o avançado ganhou a alcunha de Altafini de Cernache, em alusão ao brasileiro José João Altafini.

«O Benfica foi à final dos Campeões Europeus com o AC Milan, perdeu 1-2 e o Altafini marcou os dois golos. Na semana seguinte, jogámos com o Benfica em Alvalade para a Taça de Portugal. Tínhamos perdido 0-1 na Luz e ganhámos 2-0 com dois golos meus. Um jornalista de A Bola, que foi viver para a Bélgica, deu-me essa alcunha de Altafini de Cernache por ter marcado dois golos, como o brasileiro do AC Milan fizera. Aquilo pegou e até no balneário me chamavam Altafini. Há muita gente que ainda hoje só me conhece por Altafini. Se gostava? Gostava, claro. Ainda gosto», contou ao Maisfutebol, em 2014.

Assim jogava Ernesto Figueiredo:

 

 

Para além da reviravolta alcançada em 1962/63, o Sporting apenas chegou à final, após um resultado negativo na primeira mão, em mais três ocasiões. A primeira vez que logrou tal feito, foi em 1944/45 e, curiosamente, diante do Benfica.

Na primeira mão as águias saíram do Estádio do Lumiar em vantagem, graças aos golos de Alcobia e Julinho. Para o conjunto visitado marcou Jesus Correia. No Campo Grande, na segunda mão, Peyroteo liderou a reviravolta leonina ao apontar dois golos. O outro tento leonino foi da autoria de Jesus Correia.

Espírito Santo e Francisco Ferreira ainda marcaram para o Benfica, mas os golos de pouco serviram para impedir o triunfo do rival lisboeta.

Menos de uma década depois, no decurso da temporada 1951/52, o Sporting foi capaz de virar uma eliminatória das meias-finais da Taça de Portugal pela segunda vez na sua história. Desta feita, frente ao FC Porto. Sublinhe-se que desde essa altura que o Sporting não bate os portistas em meias-finais disputadas a duas mãos. 

Em 1952 foram precisos três jogos para os leoninos contornarem o destino. A primeira partida desta meia-final decorreu no Estádio das Antas. No primeiro jogo oficial na sua nova casa, o FC Porto ganhou por 2-0, com bis de Diamantino.

«Aquele era o Sporting dos Cinco Violinos. Era o Vasques, o Peyroteo, o Albano, Jesus Correia...Mas o FC Porto tinha uma equipa da mesma glória. Eu, Hernâni, Pedroto, Barrigana...», recordou o herói portista do primeiro jogo das meias-finais, em entrevista ao Correio da Linha.

Sete dias depois, os dragões começaram o encontro no Lumiar a vencer por 2-0 (Diamantino e Vieira). Contudo, desperdiçaram quatro golos de vantagem no conjunto da eliminatória e permitiram o triunfo do Sporting (Travassos, autogolo de Bibelino e um bis de Albano). A decisão em relação a um dos finalistas da prova, teve de ser resolvida numa terceira partida, visto que não havia a regra dos golos marcados fora.

Dois dias depois, em Coimbra, os leões viraram a partida e validaram a qualificação para a final. Diamantino e Vital adiantaram o FC Porto, com Nobre a reduzir para os leões antes do intervalo. Na segunda parte, a equipa orientada por Randolph Galloway virou o resultado para 5-2, com tentos de Rola (bis), Albano e Martins.

Talvez este epílogo seja inspirador para Jorge Jesus e para os seus pupilos.

 

A equipa dos Cinco Violinos virou a única eliminatória frente ao FC Porto.

A terceira e penúltima reviravolta do Sporting, nas meias-finais da história da Taça de Portugal, ocorreu em 1953/54. O Belenenses venceu por 4-2 no Estádio do Lumiar, mas acabou arrasado no jogo da segunda volta (6-0). Travassos e Fernando Mendonça apontaram dois golos cada, tendo João Martins e Vasques marcado os restantes golos.

Da única vez que teve de defender vantagem mínima nas meias-finais, o FC Porto… caiu

Por sua vez, o FC Porto vai tentar algo inédito nas meias-finais da Taça de Portugal disputadas a duas mãos: conservar a vantagem de um golo alcançada no primeiro jogo. A única vez que os dragões venceram a primeira mão, foi na época 2013/14, ante o Benfica.

O Clássico no Estádio do Dragão caiu para o lado portista (1-0), tendo o colombiano Jackson Martínez resolvido ao minuto 6.

Recorde golo de Jackson Martínez:

 

Na segunda volta, disputada no Estádio da Luz, o Benfica então orientado por Jorge Jesus, bateu a equipa de Luís Castro por 3-1. Salvio adiantou as águias logo ao minuto 17. No início da etapa complementar, Silvestre Varela fez o empate e deixou o FC Porto em boa posição para seguir em frente. Porém, na última meia hora, Enzo Pérez de grande penalidade e André Gomes, carimbaram a reviravolta encarnada.

Certamente que este registo será motivador para a equipa de Sérgio Conceição, que segue invicta frente ao Sporting, na presente época: duas vitórias e dois empates.