Dores Meira recusou mais esclarecimentos quanto à proximidade da autarquia e o clube da cidade mas avançou que o município está atento à situação vitoriana. «Decidimos não fazer nenhum comentário em relação aos contactos que estão a ser feitos, mas estamos de facto a fazer contactos com uma instituição bancária.»

Para a autarca, o V. Setúbal tem que ser salvo. Dores Meira explica que a instituição sadina é história da cidade, pois «tem quase 100 anos de vida» [completados no próximo ano] e assegura «Iremos lutar até ao último segundo para que nada de mais complicado possa acontecer ao clube e, neste caso, à modalidade que lhe dá mais visibilidade, o futebol profissional.»

Apesar das preocupações com a estrutura profissional, o empréstimo pretende proteger também o futuro das outras modalidades, nomeadamente os escalões jovens. «Temos milhares de jovens que ali praticam muitas modalidades amadoras com grande prestígio e que contribuem para a formação desses miúdos», relembrou.