Figura: Vincent, o insaciável

É o homem golo do Dragão. Anotou os dois primeiros golos do triunfo portista em momentos cruciais, o primeiro dos quais logo aos nove minutos e quebrou o jejum de três jogos sem marcar. Porém, é importante salientar que o camaronês não se limita a marcar, também sabe criar. Prova disso foi a assistência primorosa para Yacine Brahimi assinar o terceiro tento dos dragões. Os números não enganam: leva 17 golos em 21 jogos e está apenas três de superar o melhor registo com a camisola azul e branca, notável. E decisivo, claro.

O Momento: 34’, Aboubakar mata o jogo

Vantagem no marcador, uma equipa do Mónaco com alguns jogadores de segunda linha, enfim, um cenário perfeito para o FC Porto. Com naturalidade, os portistas baixaram os níveis de intensidade. Porém, foi nessa fase que a equipa de Conceição desenhou uma das melhores jogadas ofensivas do encontro. Recuperação de bola de Felipe que lançou de imediato Brahimi. O argelino conduziu, naquele jeito que lhe é tão característico e abriu em André André na direita. O médio, novidade de última hora no conjunto azul e branco, tentou a devolução a Brahimi, mas a bola desviou num adversário e sobrou para Danilo. Inteligente, antes de receber, o internacional português viu Aboubakar e mal receu a bola tocou para o avançado. Depois foi a qualidade individual do camaronês a fazer o resto: deitou Glik e atirou forte e sem hipóteses de defesa para Benaglio.

CRÓNICA DO JOGO:O dragão gosta da Europa e a Europa diz-lhe que sim 

Outros destaques:

Brahimi

É o fantasista da equipa, um jogador que gosta de jogar no risco, alimenta-se desse próprio risco. É indiscutível que o futebol ofensivo dos azuis e brancos sobe para patamares muito interessantes quando o magrebino consegue jogar de frente para a linha defensiva contrária. Nota para a assistência para o primeiro golo de Aboubakar e para a classe na cara de Benaglio a apontar o terceiro golo do jogo. Em suma, um jogador que está a atingir patamares muito interessantes e a pedir outros palcos.

Ghezzal

Irreverente e bom de bola, estava a ser dos melhores da formação monegasca até ao momento da expulsão. Desentendeu-se com Felipe e acabou por estragar uma exibição que estava a ser promissora até ao momento.

Falcao 

Regresso feliz ao Dragão. É um avançado de craveira internacional e voltou a prová-lo esta noite, conseguindo mais e melhor do que Carrillo em 75’ de jogo. Ameaçou aos 75’ e atirou mesmo a contar três minutos depois. Cabeceamento à-Falcao, sem hipóteses de defesa para Sá. Nota para o facto de não ter festejado o que lhe valeu mais um aplauso do público portista. 17.º golo esta época, números impressionantes.

Soares

Substituiu Aboubakar a quinze minutos do final e conseguiu inscrever o seu nome na lista de marcadores, com um belo golpe de cabeça. Assinou o terceiro golo da época e voltou a mostrar-se uma opção válida para o ataque num ciclo complicado da época.

Alex Telles

Funciona como uma espécie de vaivém no corredor esquerdo e cumpre esse papel com uma facilidade tremenda. Conseguiu inúmeras vezes ganhar a linha do fundo, embora nem sempre tenha decidido da melhor forma no momento de cruzar. Concentração e agressividade na medida certa e um pulmão enorme. Uma exibição muito acima da média coroada com um golo num belo remate cruzado de fora da área.